Cargando...

Conheça o jogador que entrou no avião, palmeirense, e desceu corintiano

Publicado em 12 - 03 - 2015
Conheça o jogador que entrou no avião, palmeirense, e desceu corintiano

De todos os títulos, o da Libertadores foi o mais importante

Volante de destaque pelo Caxias, tem proposta do Palmeiras, mas acaba sendo contratado pelo rival

Imagina que você joga pelo Caxias-RS, começa a se destacar e de repente tem tudo certo para reforçar o Palmeiras, um dos maiores times do Brasil. Só que aí você embarca em um voo e, ao pousar, escuta na televisão o presidente Andrés Sanchez anunciando que você é o mais novo jogador do Corinthians. Parece surreal, não é?

Mas aconteceu com o volante Edenílson Andrade dos Santos, dono de cinco títulos pelo clube do Parque São Jorge: Paulistão-2013, Brasileirão-2011, Libertadores-2012, Recopa Sul-Americana-2013 e Mundial de Clubes-2012.

+ Mais: Vagner Love agrada Tite

Em entrevista à Rádio ESPN, o hoje jogador do Genoa, da Itália, relembra de quando fez as malas esperando assinar com o Palmeiras, mas, ao descer do avião, foi surpreendido com a notícia de que iria atuar na verdade pelo maior rival do clube alviverde.

"Fui para Porto Alegre achando que ia fechar com o Palmeiras. Aí, no aeroporto, escutei uma entrevista do Andrés anunciando a minha contratação após o título do Paulistão de 2011. E eu com as malas prontas para o Palmeiras! Foi quando encontrei meu empresário e ele me disse que estava fechando com o Corinthians", revelou Edenílson.

Segundo o volante, o que causou a reviravolta foi obra do acaso.

"Meu empresário, Jorge Machado, estava numa viagem com o Duílio Monteiro Alves [então diretor corintiano] ajudando na negociação do meia Alex da Rússia. No avião, já voltando ao Brasil, o Jorge mostrou meu DVD ao Duílio, que gostou e falou para o Tite. Como o Tite é de Caxias e tem família lá, pediu informações minhas e acabou que deu certo a negociação", contou.

O resto da história os torcedores corintianos conhecem bem. Em três anos de Corinthians, Edenílson alternou entre titularidade e banco, mas foi peça importante na conquista de grandes títulos, até ser negociado com a Udinese, em 2014. Apesar de ter sido campeão do mundo, a taça favorita do meio-campista foi a da Libertadores.

"Todos os títulos foram especiais, mas a Libertadores foi o mais legal, porque foi inédito. O grupo era muito bom, éramos muito unidos. Depois do lanche da noite, ficávamos até tarde na concentração conversando, contando piadas...", lembrou.

Deixe seu comentário