Cargando...

Pequena biografia de um grande mestre

Publicado em 21 - 04 - 2015
Pequena biografia de um grande mestre

Telê amava os gramados como ninguém

Telê Santana, o "mestre Telê", fez o melhor por onde passou. Foi campeão como jogador e inúmeras vezes campeão como técnico. Sua maior frustração foi não ser campeão do mundo com a maior seleção do mundo

Técnico da seleção brasileira de futebol por duas vezes, começou a jogar futebol ainda na década de 1940, no América Recreativo de São João del Rey (MG), cujo técnico e presidente era seu próprio pai. Depois passou para o time juvenil do Fluminense e, como atacante, se tornou campeão carioca em 1951.

No ano seguinte, passou à equipe titular e foi escalado na ponta-direita. Sua equipe conquistou o título carioca com dois gols de Telê na final contra o Bangu. Telê ficou no Fluminense até 1962. Passou ainda pelo Madureira, o Guarani e encerrou a carreira de jogador no Vasco, em 1965.

+ CBF não quer mais jogos às 22h

Como jogador era habilidoso apesar do corpo franzino que lhe valeu o apelido de "Fio de Esperança". Não chegou à seleção brasileira apesar de ter sido campeão carioca pelo Fluminense em 1951 e 59, campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1957 e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa - Rio-São Paulo em 1960.

Foi como treinador que Telê Santana conquistou a fama e o reconhecimento. A primeira experiência como técnico foi no próprio Fluminense, comandando a equipe juvenil em 1967. Mais tarde assumiu interinamente a equipe profissional, conquistou o Campeonato carioca de 1969 e foi confirmado no cargo.

Foi ainda campeão mineiro pelo Atlético em 1970/1988, campeão brasileiro pelo mesmo Atlético em 1971 e Campeão gaúcho pelo Grêmio em 1977.

Em 1979 realizou um excelente trabalho no Palmeiras, garantindo assim o comando da seleção brasileira no Mundial da Espanha em 1982. Infelizmente, o Brasil foi derrotado pela Itália e acabou sendo eliminado. Aceitando a um convite, Telê passou a trabalhar no futebol árabe como técnico do Al Ahli.

Em 1986, na Copa do México, o técnico voltou a dirigir a Seleção Brasileira, mas graças à derrota adquiriu a fama de "pé-frio". No final de 1989, Telê voltou a dirigir o Palmeiras, mas deixou o clube após o fracasso no Paulistão de 90. No mesmo ano, o técnico assumiu o São Paulo conquistou um recorde de títulos: Campeão Paulista nos anos de 1991/92, Campeão Brasileiro em 1991, Campeão da Taça Libertadora em 1992/93, Campeão Mundial Inter Clubes em 1992/93, Campeão da Super Copa - 1993 e Campeão da Recopa em 1994.

Em 1996, Telê deixou o São Paulo. Sua última passagem pelo futebol não chegou a se concretizar: no início de 1997, foi contratado pelo Palmeiras. Entretanto, com problemas de saúde, não chegou a assumir o cargo.

Em 2003, ele foi submetido à cirurgia para amputação de parte da perna esquerda. Em março de 2006 voltou a ser hospitalizado, vindo a falecer em 21 de abril, aos 74 anos.

( Crédito: UOL Educação )

Notícias Mais Lidas

Deixe seu comentário