Notícias 

As cores do futebol

Conheça a história da origem das cores das bandeiras de algumas equipes de futebol do país.

Flamengo – As primeiras cores do rubro-negro mais famoso do Brasil foram o azul (da Baía de Guanabara) e o Ouro (das riquezas brasileiras). No ano seguinte à sua fundação, em 1896, devido ao azul e o ouro desbotarem por causa da salinidade das águas e do sol (o Flamengo é um clube de regatas por natureza), as cores foram substituídas pelo vermelho e preto, que eram as cores da bandeira do Jockey Club Brasileiro, também situado na Gávea, bairro do clube.

Corinthians – Apesar de desde a data de sua fundação, em 1910 o “Timão” ser alvinegro, em seus primeiros jogos o time teria jogado com camisas na cor bege. Seria esta uma homenagem ao Corinthian-Casuals Football Club, clube inglês que em excursão ao Brasil no início do século passado serviu de inspiração aos seus fundadores. Apesar disso, o Corinthians Paulista jogou nos seus primeiros anos todo de branco, somente a partir de 1920 os calções passaram a ser pretos, quando a então diretoria do clube conseguiu recursos para comprá-los.

São Paulo – As faixas vermelha e preta na camisa alva do Tricolor Paulista faz homenagem aos clubes que deram origem ao que conhecemos agora: a faixa vermelha remete ao Clube Atlético Paulistano e a faixa preta à Associação Athlética das Palmeiras (Sim, um clube chamado Palmeiras deu origem ao São Paulo!).

Palmeiras – Suas cores iniciais eram o verde, o vermelho e o branco, fazendo alusão às cores da Itália. Em 1942, por causa da segunda guerra mundial, toda a representatividade com esse país precisou ser retirada do clube. O nome mudou (de Palestra Itália para Palestra de São Paulo e depois para Palmeiras) e o vermelho foi retirado oficialmente, ficando o clube Alvi-verde como se conhece hoje.

Vasco da Gama – As cores preta e branca do Cruzmaltino estão diretamente ligadas à figura do navegador que inspirou o nome do clube. O branco representado na faixa do uniforme simboliza o estandarte que Vasco da Gama recebeu do então Rei de Portugal, D. Manuel e a camisa negra (este é o uniforme 1 do Vasco, ao contrário do que muitos pensam), representa os “mares nunca dantes navegados”, desconhecidos e obscuros pelos quais o navegador singrou. Há versões que dão conta de que a faixa também representaria as caravelas desbravando os mares desconhecidos, por isso o facho branco no fundo negro.

Grêmio – O imortal tricolor gaúcho na verdade nasceu bicolor: Foi fundado com as cores Havana (um tom quase alaranjado, só que um pouco mais escuro) e azul. Devido a impossibilidade de se achar tecidos na cor havana, o preto a substituiu e algum tempo depois o branco também foi adotado, nascendo assim a identidade visual que conhecemos hoje.

Cruzeiro – As histórias do Cruzeiro e do Palmeiras se confundem fortemente até 1942. Até então, ambos tinham o mesmo nome (Societá Sportiva Palestra Itália) e claro, as mesmas cores da bandeira italiana (verde, vermelho e branco). Pelo mesmo motivo do verdão, o Cruzeiro também mudou seu nome (Palestra Mineiro, Ypiranga por um só jogo e depois Cruzeiro, em homenagem ao Cruzeiro do Sul que se vê em seu escudo) e depois as cores. Neste caso a mudança foi mais radical, a diretoria aboliu o verde e o vermelho, erradicando a raiz italiana do clube e o transformou em um clube bicolor: Azul e branco.

Santos – Assim como ocorrera com outros clubes, o Alvinegro praiano nascera com outras cores que foram modificadas devido às dificuldades de aquisição de tecidos na época e a facilidade com que desbotavam. No caso do Santos, na sua fundação, seu uniforme foi inspirado nas cores do Clube Concórdia, sede onde aconteceu a reunião de fundação do clube: Listras azuis e brancas separadas por um fio dourado. No ano seguinte, o dourado foi abolido e o azul deu lugar ao preto, permanecendo até hoje.

Internacional – O colorado de Porto Alegre (que tem este apelido devido a camisa vermelha) teve o vermelho e o branco escolhido para serem suas cores por influência do carnaval: Seus fundadores também apreciavam o carnaval e se dividiam na torcida entre os “Venezianos”, Alvi-rubro e a Sociedade Esmeralda, verde e branca. Como os venezianos eram a maioria nessa reunião, escolheu-se o vermelho e branco como as cores oficiais do clube.

Atlético-MG – O preto e o branco foram as cores escolhidas desde a sua fundação, o mesmo não se pode dizer do nome, que sofreu uma pequena mudança no aniversário do clube em 1913. De Atlético Mineiro Futebol Clube, passou a se chamar Clube Atlético Mineiro, conquistando assim o seu primeiro título.

Botafogo – Os dois clubes que deram origem ao atual Botafogo de Futebol e Regatas vestiam branco e preto desde à sua fundação, porém o de futebol em 1904 usava meias cor de abóbora. Em 1906, com a adoção da camisa listrada, inspirada no modelo da Juventus da Itália, o alvi-negro passou a ser em definitivo o padrão de cores do clube.

Fluminense – O Tricolor carioca é outro clube que também não nasceu como conhecemos hoje e pelo mesmo motivo do tricolor gaúcho precisou mudar de cores: Em sua fundação, suas cores oficiais eram o cinza e o branco. Em 1904, devido à dificuldade na época de se encontrar tecidos para os uniformes na cor cinza, seus fundadores sugeriram a mudança para o verde, grená (ou encarnado, como era chamada) e branco, por serem mais fáceis de se encontrar. A sugestão foi posta em votação para os sócios e aprovada, ficando assim até hoje.

Artigos Relacionados

Leave a Comment