Notícias 

Colorados criam rua em homenagem a Fernandão

Grupo de policiais decidiram homenagear o ídolo do Inter na terça colocando o nome de Fernandão em uma rua de Porto Alegre

As homenagens a Fernandão não cessam. A mais nova é uma “antecipação” da torcida a uma proposta de José Fortunati. Ainda no sábado, dia da morte do ídolo, o prefeito de Porto Alegre sugeriu que a Rua A, que fica ao lado do Gigantinho e do Beira-Rio, passasse a ser chamada de Fernando Lúcio da Costa. Pois nesta última terça-feira, um grupo de colorados instalou uma placa no local com a inscrição “Avenida Fernandão”.

“Surgiram inúmeras ideias de torcedores para homenagear o Fernandão. Uma delas foi a de dar o nome da rua. Fizemos ontem um ato simbólico ao colocar uma placa com a cor do Inter e o nome do Fernandão” – conta o Tenente Cláudio Bayerlle, do 9º Batalhão da Brigada Militar.

VEJA MAIS:

D´Alessandro sugere imortalizar a camisa 9
Atletas lamentam a morte de Fernandão nas redes sociais
Relembre a carreira vitoriosa do atacante ex-Inter, São Paulo e Goiás

A proposta de Fortunati será encaminhada à Câmara Municipal. O prefeito também anunciou luto oficial de três dias ainda no sábado, dia do acidente.

A morte de Fernandão gerou comoção entre os colorados. Torcedores realizam uma série de homenagens ao capitão dos títulos da Libertadores e do Mundial em 2006. Diariamente o Centro de Visitantes Gigante para Sempre virou um memorial para o ídolo, com fotos, flores, velas, cartas e mensagens.

A direção já decidiu que diante do Corinthians, no dia 17 de julho, em partida que marca a retomada do Brasileirão, ela não será utilizada.

A missa de sétimo dia que será promovida pelo clube está marcada para a próxima sexta-feira, às 20h, na Igreja do Rosário, em Porto Alegre.

Investigação sobre o acidente

A polícia de Goiás não tem prazo para concluir as investigações sobre o acidente que matou Fernandão e outros quatro amigos. O dono do helicóptero e familiares das vítimas deverão ser ouvidos nos próximos dias. A delegada que cuida do caso, Bruna Coelho Soares, quer saber o que as vítimas faziam antes do acidente.

A investigação está na fase inicial. O que já foi descoberto pela polícia é que o helicóptero tinha condições de voar

.- Estamos também tentando intimar as famílias das vítimas para saber como foi aquele dia, o que aconteceu, se alguém comentou sobre algo errado no helicóptero, se alguém passou mal – diz. – Foi coletado o motor da aeronave, foi coletado material no local, e estamos aguardando um laudo preliminar – completa a delegada.

– Pelo tipo de queda, o avião estava em funcionamento. Não teve parada no ar. Provavelmente o clima estava normal, não tinha neblina, não tinha morro de areia – destaca a delegada.

Artigos Relacionados

Leave a Comment