Notícias 

Palmeiras perde a cabeça e o jogo para o Guarani

Na despedida de Atibaia, titulares do Verdão vacilam em jogo-treino. Bruno César e Diogo são expulsos por jogadas violentas e são derrotados por 2×0

Em jogo-treino tenso, com jogadas violentas e expulsões, o Palmeiras perdeu para o Guarani por 2 a 0, nesta terça-feira, na despedida da equipe de Atibaia, no interior de São Paulo, onde passou 10 dias em retiro. Os gols do Bugre foram de Silas e Joãozinho. Bruno César foi expulso após agressão. Na sequência, Diogo acertou um adversário sem bola e também saiu mais cedo. O Verdão saiu na bronca com a arbitragem e com quatro jogadores amarelados.

O jogo-treino teve dois tempos de 35 minutos. Ricardo Gareca escalou a equipe alviverde com: Fábio; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e William Matheus; Renato, Wesley, Bruno César, Diogo e Pablo Mouche; Henrique. O zagueiro argentino Fernando Tobio, poupado, não atuou.

+Fã mirim surpreende o atacante Henrique
+Verdão improvisa no ‘portunhol’

Enquanto isso, Evaristo Piza mandou o Bugre a campo com: Pegorari; Samuel, Jorge Luiz, Tiago Bernardi e Bruno Ré; Thiago Carpini, Simião, Renan Mota e Cassinho; Leleco e Silas. Na segunda etapa, houve várias alterações, dentre as quais a entrada de Joãozinho, autor do segundo gol.

O Guarani, que disputa a Série C do Brasileirão e a A2 do Paulista, foi melhor no primeiro tempo. A equipe de Campinas chegava nos espaços deixados às costas dos laterais palmeirenses. Fábio precisou fazer grandes defesas. Bruno César e Renato foram amarelados após faltas duras. A melhor chance do Palmeiras apareceu em tabela pela esquerda. William Matheus lançou Pablo Mouche. O argentino foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Henrique, que mandou no travessão. Diogo, batendo de fora da área, também assustou.

Perdendo o jogo, os jogadores do Verdão passaram a discutir com a arbitragem. Pablo Mouche levou amarelo por reclamação. Na sequência, os dois vermelhos: primeiro para Bruno César, que acertou um tapa num atleta do Guarani, revidando uma cotovelada; e depois para Diogo, que deu uma entrada violenta em Silas, sem bola. Já sabendo que seria expulso, o camisa 17 nem olhou para o árbitro.

– O nervosismo faz parte do treino. Um jogo logo de manhã, acabamos ficando um pouco mais nervosos. E o árbitro não dando uma falta ou outra… Faz parte – afirmou Diogo.

O juiz deu a Gareca a opção de colocar outros jogadores nos lugares dos expulsos, mas o técnico argentino preferiu terminar a atividade com dois a menos.

Artigos Relacionados

Leave a Comment