Gremio Notícias 

Enderson Moreira não resiste e deixa o comando do Grêmio

Técnico comunicou desligamento do clube em comum acordo com a diretoria do clube, após derrota para o Coritiba, na noite deste domingo, na Arena. Grêmio quer fechar com técnico com ‘respeitabilidade’ até sábado

Enderson Moreira não é mais o treinador do Grêmio. O comandante deixou o clube gaúcho em comum acordo com a diretoria após a derrota por 3 a 2 para o Coritiba, na Arena, na noite deste domingo, pelo Brasileirão. A torcida se manifestou de maneira forte contra o técnico após o gol de Alex, aos 48 do segundo tempo, e pediu sua saída com uma faixa.

Após o jogo, o treinador permaneceu no vestiário na presença do presidente Fábio Koff, do diretor-executivo Rui Costa e do assessor de futebol Marcos Chitolina. Uma reunião definiu a saída do comandante. Depois de uma demora de cerca de uma hora, Enderson anunciou sua saída.

– A gente lamenta muito o resultado do jogo de hoje (domingo). Em conversa com a direção, chegamos a um acordo que por mais que tenhamos muito carinho e respeito, tenhamos tentado fazer o melhor trabalho, não funcionou da maneira que todos esperavam. Eu lamento muito. Tanto quanto os outros torcedores, queria muito contribuir para uma grande conquista. Queria publicamente aqui, depois do acordo com a direção e presidente, agradecer muito à torcida. Ao mesmo tempo que agradeço, eu peço desculpas pelo que não funcionou do jeito que a torcida merece. Torcida que sempre incentivou e incentiva a equipe- disse Enderson.

O presidente Fábio Koff também fez um pronunciamento após a demissão de Enderson. Com respeito e aparentando emoção, o mandatário afirmou inclusive que Enderson pode voltar ao Grêmio em um futuro com uma realidade diferente.

– Tantos anos na presidência, acho que o momento que vivemos aqui é inédito no Brasil. Nunca vi no momento em que sai o treinador, que nós estabelecemos uma relação de admiração recíproca em cinco meses. Não vivi e não vi uma situação de rompimento de relação profissional como esta. Com dignidade, respeito recíproco, de um excelente profissional. Que desempenhou o trabalho com dedicação, responsabilidade, respeito de todo o elenco. Não é fácil para um clube que está há tantos anos em busca de um tútulo, não é uma tarefa fácil dirigir o Grêmio – relatou Koff.

Enderson sai após assumir o Grêmio no início deste ano, após pouco mais de seis meses. Foram 35 jogos oficiais, com 17 vitórias, 11 empates e sete derrotas. O aproveitamento foi de 59,04%. O treinador havia ficado quase dois anos no Goiás, até o final de 2013.

Agora o Tricolor irá atrás de um novo treinador. Tite foi contatado em situações anteriores para o comando. Assim como Cristóvão Borges, atualmente no Fluminense, e Gilmar Dal Pozzo também haviam sido especulados como opções para o clube gaúcho.

Enquanto diretoria negocia com novo nome, André Jardine, do sub-20, assume interinamente

Após a demissão do técnico Enderson Moreira, o Grêmio começará a partir da noite deste domingo os movimentos para escolher um nome para comandar o clube. Esquivando-se de comentar sobre nomes, o diretor-executivo Rui Costa confirmou um técnico interino para os próximos dias e quer fechar com o novo profissional antes do jogo do próximo sábado, com o Vitória, no Barradão.

André Jardine, que comanda o time sub-20 gremista, ficará como interino até que um novo profissional seja contratado. A diretoria gremista deixou a Arena após a derrota para o Coritiba e certamente já se reuniu para definir as diretrizes da contratação. Costa, em entrevista na zona mista da Arena, não quis comentar nenhuma das opções levantadas, como Tite, que está livre no mercado.

– O perfil de alguém que tenha de trabalhar muito, ter uma relação transparente conosco. Mas não há um nome. Estamos trabalhando desde já. Assume o André Jardine interinamente para os próximos dias – disse Rui Costa.

A ideia é ter o próximo treinador já contratado até o próximo sábado. Embora os dirigentes não garantam que isso vá acontecer.

– Seria o ideal, mas não sabemos se pode ser alcançado. Não será uma substituição simples, pelo trabalho que ele desenvolveu aqui. Não podemos fazer uma substituição paliativa, tem que ser de um profissional que possa ingressar com essa força, para ter um prosseguimento de campeonato buscando o título – disse o diretor-executivo.

– Importante que seja um profissional eque construa a respeitabilidade. Que saiba o desafio que vai encarar aqui. Evidente que esse profissional vai chegar em um ambiente de pressão. Não gostaria de adjetivar desta forma. que seja um profissional de confiança, credibilidade e capacidade de enfrentar um momento delicado que enfrentamos – completou o dirigente.

Artigos Relacionados

Leave a Comment